Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

100Nexus

TUDO É ILUSÃO, DESDE O QUE PENSAMOS QUE PODEMOS AO QUE JULGAMOS QUE TEMOS.

facebook

E sobram 6...

por migalhas, em 21.04.17

BookPile_0.jpg

 

A lista dos candidatos ao Man Booker International Prize deste ano está agora reduzida a seis títulos/autores. A saber:

  • Mathias Enard (France), Charlotte Mandell (US), Compass (Fitzcarraldo Editions)
  • David Grossman (Israel), Jessica Cohen (US), A Horse Walks Into a Bar (Jonathan Cape)
  • Roy Jacobsen (Norway), Don Bartlett (UK), Don Shaw (UK), The Unseen (Maclehose)
  • Dorthe Nors (Denmark), Misha Hoekstra (US), Mirror, Shoulder, Signal (Pushkin Press)
  • Amos Oz (Israel), Nicholas de Lange (UK), Judas (Chatto & Windus)
  • Samanta Schweblin (Argentina), Megan McDowell (US)Fever Dream (Oneworld)

Resta agora aguardar por 14 de Junho próximo, para saber qual destes finalistas será o, com certeza, mais do que merecedor vencedor da edição deste ano. Até lá, vamos ficando a par do que se vai passando, aqui: http://themanbookerprize.com/international

Boas leituras.

Longlist do The Man Booker International Prize 2017

por migalhas, em 16.03.17

Clip0043.MXF_.14_33_45_17.Still017.jpg

 

Aí está o anúncio oficial da longlist do The Man Booker International Prize 2017. São 13 as obras seleccionadas para esta fase, sendo que a lista final de seis livros, a shortlist, será anunciada a 20 de Abril e, finalmente, o vencedor do prémio de 2017 a 14 de Junho. Até lá, vamos tentar averiguar quais as editoras nacionais responsáveis por estas traduções locais e para quando estarão disponíveis aos nosso olhos. Na certeza de que estaremos na presença da nata da literatura mundial.

Todos os pormenores, podem encontrá-los aqui:

http://themanbookerprize.com/news/man-booker-international-prize-2017-longlist-announced

A vegetariana já cá chegou!

por migalhas, em 15.09.16

image.jpg

 

A vencedora do ano passado do prestigiado Man Booker International Prize, "A Vegetariana" de Han Kang, acaba de ser alvo de edição local. Ou seja, mais um para ler muito em breve.

 

Uma combinação fascinante de beleza e horror.

Ela era absolutamente normal. Não era bonita, mas também não era feia. Fazia as coisas sem entusiasmo de maior, mas também nunca reclamava. Deixava o marido viver a sua vida sem sobressaltos, como ele sempre gostara. Até ao dia em que teve um sonho terrível e decidiu tornar-se vegetariana. E esse seu ato de renúncia à carne - que, a princípio, ninguém aceitou ou compreendeu - acabou por desencadear reações extremadas da parte da sua família. Tão extremadas que mudaram radicalmente a vida a vários dos seus membros - o marido, o cunhado, a irmã e, claro, ela própria, que acabou internada numa instituição para doentes mentais. A violência do sonho aliada à violência do real só tornou as coisas piores; e então, além de querer ser vegetariana, ela quis ser puramente vegetal e transformar-se numa árvore. Talvez uma árvore sofra menos do que um ser humano.


Este é um livro admirável sobre sexo e violência - erótico, comovente, incrivelmente corajoso e provocador, original e poético. Segundo Ian McEwan, «um livro sobre loucura e sexo, que merece todo o sucesso que alcançou». Na Coreia do Sul, depois do anúncio do Man Booker International Prize, A Vegetariana vendeu mais de 600 000 exemplares. Aplaudido em todos os países onde está traduzido, é um best-seller internacional.

Merecido prémio

por migalhas, em 25.05.16

25489025.jpg

 

O Man Booker International Prize de 2016 foi para a obra “The Vegetarian”, de Han Kang, romance que equilibra uma agradável e precisa prosa com uma violência corporal e simbólica. Merecida vencedora deste prémio literário, segundo se pode ler aqui

http://flavorwire.com/576510/han-kangs-the-vegetarian-deserves-its-2016-man-booker-international-prize-for-fiction

“The Vegetarian” é um romance que aborda o consumo e a violência humana, espelhado no limite a que alguém chega no sentido de querer deixar de pertencer a essa mesma raça humana em virtude das atrocidades que a mesma comete.

Man Booker International Prize 2016

por migalhas, em 18.05.16

hankangveg.jpg

 

And the winner was...

... “The Vegetarian”, de Han Kang, professora de escrita criativa no Instituto de Artes de Seul e escritora já premiada várias vezes na Coreia do Sul.

Originalmente escrito em coreano, “The Vegetarian” foi posteriormente traduzido por Deborah Smith para inglês e publicado pela Portobello Books. Autora e tradutora vão assim dividir um prémio no valor de mais de 60 mil euros.

A edição portuguesa, que terá a chancela da D. Quixote, está prevista para Outubro, com tradução de Maria do Carmo Figueira feita a partir da versão inglesa.

2016 Foi um ano de mudanças para o Man Booker International Prize. Além de passar a ser atribuído anualmente, pela primeira vez a seleção do vencedor tem por base apenas uma obra. Anteriormente, distinguia a carreira de um autor desde que este tivesse livros publicados em inglês.

 

Toda a notícia aqui: http://expresso.sapo.pt/internacional/2016-05-16-Han-Kang-e-a-vencedora-do-Man-Booker-International-Prize

José Eduardo Agualusa finalista do Man Booker International Prize

por migalhas, em 16.04.16

130.Jose Eduardo Agualusa-A General Theory of Obli

 

José Eduardo Agualusa (Angola), Elena Ferrante (Itália), Han Kang (Coreia do Sul), do dissidente Yan Lianke (China), Orhan Pamuk (Turquia) e Robert Seethaler (Áustria) são os seis finalistas do Man Booker International Prize deste ano.

Agualusa foi selecionado pelo livro “General Theory of Oblivion” (“Teoria Geral do Esquecimento”), traduzido para o inglês por Daniel Hahn, que conta a história de uma mulher que se fecha em casa na véspera da independência de Angola e que passa os 28 dias seguintes a viver de vegetais e pombos até uma criança lá fora começar a interagir com ela. Para os jurados do prémio, a obra do autor angolano é "um retrato único de uma sociedade em fluxo".

 

Leia aqui a notícia http://expresso.sapo.pt/cultura/2016-04-14-Jose-Eduardo-Agualusa-passa-a-fase-seguinte-do-Man-Booker-International-Prize