TUDO É ILUSÃO, DESDE O QUE PENSAMOS QUE PODEMOS AO QUE JULGAMOS QUE TEMOS.

20
Jun 07

Mais dois dias e findo mais um ciclo. Mais um local de passagem, dos muitos que já percorri. Mais um grupo de pessoas que conheci, de trabalhos que efectuei, de experiências que vivi. Seguem-se novos desafios, novas pessoas a conhecer, novas experiências a viver. Mais um passo dado em frente, mais uma achega à minha evolução pessoal, mais um up grade curricular. E tudo rumo a quê? Será desta? Será aqui, neste novo spot, que algo de verdadeiramente diferente irá acontecer? E o quê, propriamente? Que serve de alento a esta busca incessante por algo mais? Se nem sequer há certeza de que algo é esse, de que coisa se trata, na realidade? Será profissional, será pessoal, será meramente experimental? Mais um degrau que terei de subir, um atalho que terei de tomar, uma viagem que terei de fazer? Ou simplesmente mais um capítulo desta sequência de episódios que é a minha vida, que terei efectivamente de protagonizar? Em parte sei ao que vou, o que ali me espera, o que vou encontrar, aquilo que pretendem de mim. Mas tudo se rege por incertezas, por suposições, adivinhas, esperança de que seja o que imaginamos e nunca menos que isso. Que as coisas corram de feição e a bom porto seja levada esta nova temporada que me aguarda, logo ali, ao virar da esquina. O que vou perder, o que vou ganhar, num balancete final que, aguardo, se quede por um saldo visivelmente positivo. Não existe anseio, apenas o eterno receio por que se gorem eventuais expectativas criadas. Mas também aí já tive a minha dose, razão por que anos destas lides me fazem refrear os ânimos e simplesmente aguardar, pacientemente. Tudo fazer por que aconteça, mas sem excessos por que aconteça depressa demais. É importante respeitar o tempo necessário para construir algo. O tempo essencial para erguer um bom projecto, sólido, com condições de vingar e ser bem sucedido de futuro. Dar um passo de cada vez, passos firmes, decididos, mas pensados, planeados. E não fazer apenas por que sim. Por que alguém, nalgum lado, espera isso de nós. Vou ser como sempre fui. Disso tenho a certeza absoluta. Se me trouxe até aqui, seguramente poderá levar-me mais além. É essa a convicção, a vontade. É esse o pensamento. O resto se verá. Um dia após o outro.

publicado por migalhas às 16:45

CorretorMais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


Junho 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
13
14
15
16

17
18
22
23

24
25
26
27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
facebook
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO