TUDO É ILUSÃO, DESDE O QUE PENSAMOS QUE PODEMOS AO QUE JULGAMOS QUE TEMOS.

20
Abr 05
Agora compreendo porque Singapura é um país/cidade modelo. Embora sejam muitas as raças que cruzam diariamente cada uma das suas enormes avenidas, não se nota um indício que seja de qualquer espécie de racismo ou discriminação seja por quem for. Todos têm direito à vida, às suas vidas, e ninguém sequer questiona esse que é um dos princípios básicos de todo e qualquer ser humano, mas muitas vezes esquecido em grande parte do mundo, principalmente o ocidental. Se a sua economia serve de exemplo de estudo para muitas nações, já este aspecto deveria seguir-lhe o exemplo. A disciplina é ponto assente, a ordem é para cumprir e não há que discutir. Quem cometer a mais pequena argolada, vai de cana. Literalmente. Fica sujeito a umas quantas vergastadas durante um determinado período de tempo, período após o qual volta à sua vida. As multas são pesadas para quem se atreva a deitar lixo para a rua, cuspir ou mesmo comer pastilhas elásticas. Leram bem, pastilhas elásticas. O civismo patente em todo o lado chega a pasmar a quem a ele não está habituado e discussões estão definitivamente fora de questão. Aliás, levantar a voz é considerado rude e quem o faz perde imediatamente a razão. A boa fé e a confiança em cada um é tal que nem se dedicam a conferir o valor em dinheiro pago pelo cliente por um determinado produto. É claro que pelas suas mentes não passa sequer a ideia de que pode haver quem queira enganar ou tirar partido da situação. Da mesma forma, o troco que dão é invariavelmente certo ao cêntimo, sob a pesada pena da vergonha e do embaraço por tamanho erro. A simpatia também é um “plus” e a disponibilidade para ajudar ou esclarecer uma dúvida que seja corre-lhes no sangue. É claro que por vezes o inglês posto na conversa é de tal forma macarrónico que se torna difícil de descortinar. Mas pelo menos todos falam esta que é a língua mais usada em todo o mundo para manter o contacto entre os povos. Muito mais haveria para dizer, mas bom mesmo é poder avaliar todos estes pormenores “in loco”. Para quem possa, aconselho. Ajuda a compreender que é possível viver em comunidade, em paz, sem receios de criminalidade de qualquer espécie, sem o perigo dos constantes assaltos à mão armada por parte dos nossos próprios governantes, em resumo, ajuda a compreender que é possível viver civilizadamente e com um sorriso estampado no rosto a toda a hora. De forma ordeira e com total respeito pelo espaço de cada um, seja ele preto, branco, amarelo, ou de que raça for. Perante o que vi, vermelhos de vergonha deveríamos ficar todos nós, ocidentais, pela forma como vivemos as nossas vidas. Nós que constantemente reclamamos o estatuto de avançados e modernos, muito temos ainda que aprender e muito caminho percorrer para chegar sequer aos calcanhares deste povo exemplar. Tenhamos nós a humildade de com eles aprender e aí sim, estaremos a evoluir.
publicado por migalhas às 16:40

Assino por baixo! Toda a gente devia lá ir e ver se aprende alguma coisa, pois mmo quem acha q já se comporta bem, como é o meu caso..., tem sempre algo a aprender.
Por exemplo, nós passamos na rua e vemos um turista a consultar um mapa, vamos lá perguntar se precisa de ajuda? Ou ficamos à espera q ele a peça? Pois é, sabe mt bem aparecer sempre alguém q está disponível p nos ajudar, mmo sem pedirmos. E este é só um exemplo. Viva Singapura! Fiquei fã, é um óptimo local p se viver. Recomendo.ana
</a>
(mailto:ana.pereira@wportugal.pt)
Anónimo a 27 de Abril de 2005 às 10:09

Abril 2005
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
19
21
22
23

24
25
26
28
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

facebook