TUDO É ILUSÃO, DESDE O QUE PENSAMOS QUE PODEMOS AO QUE JULGAMOS QUE TEMOS.

27
Jan 10

naquele cais me vi nascer e a ele me chego para morrer

nas suas águas revoltas de tantas embarcações que chegam e partem ao ritmo de quantas vidas as imitam

e eu a querer-me uma delas

a levantar âncora e a sulcar estas águas que um dia me viram nascer

e a meio caminho da viagem viver um episódio trágico-marítimo e nele entender que viagem alguma leva a algum lado

que odisseia alguma nos faz realizados

que é o tempo que nos abre fundos sulcos na aridez da pele que antes nos secou, para nos pontapear a seguir, para onde ele entende

ele que nos apressou a vinda e sempre ao ritmo da sua pressa nos avança lesto a ida

a mesma que aqui venho reclamar

minha

neste cais que um dia no seu âmago me viu desaguar

 

publicado por migalhas às 12:18

Janeiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
21
22
23

24
25
26
28
29
30

31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
facebook
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO