TUDO É ILUSÃO, DESDE O QUE PENSAMOS QUE PODEMOS AO QUE JULGAMOS QUE TEMOS.

17
Mar 09

Nem um dia a esta hora, oito dias atrás
E hoje a impores já uma porção de tempo que em ti se perfaz
Em ti se mostra e dá a ver
Na força, no querer

Tão depressa como breve a tua aparição
Na rebeldia da fronteira de novo dia
Esse que se fez sem que eu desse por ele
Enfeitiçado que estava em te fazer nascer

Agora já te sinto e no sentir te vejo
Olhos nos olhos e tudo te é permitido
De quanto te espera e te aguarda

Nascer custa muito, não é papá?
Aceno que sim e num sorriso escondo que nascer, morrer, mas mais o entremeio
Aquele pedaço de tempo que se intromete entre esse nascer e esse morrer
Apelidado de vida, por uns, de existência efémera, por tantos outros

publicado por migalhas às 23:57

Março 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

16
19
21

22
23
25
27
28

29
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
facebook
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO