TUDO É ILUSÃO, DESDE O QUE PENSAMOS QUE PODEMOS AO QUE JULGAMOS QUE TEMOS.

24
Jan 08

Estou e sou, como também tu estás ou és. A diferença não pode ser muita, somos gente, carne e osso e alma e mais aquilo de que nos fizeram. Ele está, é. Está e é como nós, que estamos, que somos, que carregamos as pernas, as duas, com o nosso ser e estar, com o nosso caminhar, com os locais onde vamos, como vamos, e que são elas que nos levam lá, quando não é apenas a mente e por isso a cabeça também, nem só as pernas, as duas. É um peso medonho e é a vida toda a contar com elas, as três, as duas pernas e a cabeça também. E vós? Como estais, como sois? Podia tratar-te por tu, pois és carne e osso como toda a gente e eu sou gente. E tu gente és. Mas alguém me disse que era melhor tratá-lo assim, que era assim que gostava de ser tratado, pois que tem outro estado, se bem que nado e criado como cada um, como gente que somos todos e vós também. Eles estão e eles são e eles avisaram-me de antemão que era assim que muitos se tinham aos olhos do mundo, dos outros que os vêem como humanos, iguais, e não como senhores imperiais. Mas crescem e florescem e proliferam como no mato o cogumelo e não tarda são mais que muitos, mais que a gente, os que nascem e crescem como toda a gente que é humana. E não tarda soterram-nos, já nos pisam, mas soterram-nos, espezinham-nos e comprimem com as suas ideias, ideais, que são os seus e nunca os demais, dos humanos, da gente que é gente e cresce a pensar que é gente e que todos os outros também o são. Mas não. Pois há gente e os que sendo gente o são diferente. E, infelizmente, são esses que governam toda a gente, o rebanho que se mexe iludido que todos assim são e que sem contar com os que não, vivem a ilusão de que são senhores da sua existência. Quem nos governa, comanda, nos encaminha na ponta da seta, são afinal os tais, os que se querem de outra forma tratados, pois que têm outro estado, por isso diferentes. Eu estou e sou, como também tu estás ou és. A diferença é que não o controlamos como julgamos que sim. Pois há gente que, como nós ainda assim diferente, nos comanda o querer, o estar e o ser, nos encaminha na ponta da seta, a nós, rebanho de tanta gente, gente de carne e osso e alma e também ilusão de que somos, são, assim, mas não. Por nós, por eles, o são, alguém, que nem sei, apenas que sendo gente, é gente diferente.

publicado por migalhas às 15:27

Janeiro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

13
15
16
17
19

20
21
23
25
26

27
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
facebook
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO