TUDO É ILUSÃO, DESDE O QUE PENSAMOS QUE PODEMOS AO QUE JULGAMOS QUE TEMOS.

17
Abr 06
E pronto. Lá se foi mais uma Páscoa. 3 dias e meio que passaram a voar, mas que, ainda assim, se saldaram por um resultado bastante mais positivo do que a sexta-feira chuvosa deixava antever. Uma pausa que serviu essencialmente para pôr em dia as novidades relativas à grande atracção deste ano: a coelhinha Sara. Novidades essas que, infelizmente, são mais as que vou perdendo do que as que observo ao vivo e a cores em tempo real. Está mais crescida, já tem um discurso que, por ora, só ela entende, já brinca e provoca com as suas gracinhas e ri, ri muito e é bem disposta e simpática, algo que deve ter herdado igualmente da mãe. Mas é quando a adormeço nos braços, e ali tão perto aprecio aquilo em que já se tornou, que me surpreendo com ela. Aqueles traços tão perfeitos, tão definidos, uma pele sem mácula, macia e aquelas bochechas gordas que só apetece trincar. E depois a chupeta, que se movimenta a um ritmo, ora alucinante, ora calmo, fazendo lembrar a Maggie dos Simpsons. Está de facto muita gira e suscita situações e actividades que, embora se sobreponham a outras, substituindo-as, revelam a sua magia e funcionam como pequenos marcos que, todos juntos, revertem a favor do seu percurso, do seu constante e continuado crescimento e evolução. Hoje com 4 meses e meio, prepara-se para dar entrada no mundo das papas e das sopinhas. Uma nova fase que trará com toda a certeza inúmeros motivos para novas descobertas que não param nunca e sempre se saúdam. Tenho de admitir que se trata de um acontecimento marcante, que dificilmente pode deixar indiferente quem quer que seja. Só faz pena é ter de sair de manhã cedo e deixá-la na nossa cama a palrar e a levar à boca todos os bonecos que apanha à mão, enquanto aquelas pernas e braços se movimentam num ritmo que chega a cansar até o mais adulto. Como uma máquina fotográfica, capto aqueles últimos instantes, aquele derradeiro olhar com que a deixo, e ao longo do dia recorro a eles para me recordar da filhota linda que tenho todos os dias à minha espera em casa. Pelo menos até que tenha idade para me trocar por outro! Por enquanto, vou aguardando impacientemente pelos feriados, pontes e dias de férias, para estar com ela o tempo todo e vê-la crescer ao nosso lado, meu e da mãe. Venha de lá então a próxima ponte e fim-de-semana de 3 dias, e que o sol volte a marcar presença. Para que sob ele possamos dar longos passeios, olhar o mar, respirar ar puro, mas, acima de tudo, sermos três pessoas muito mais felizes.
publicado por migalhas às 12:47

Abril 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
22

23
25
26
27
28
29

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
facebook
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO