TUDO É ILUSÃO, DESDE O QUE PENSAMOS QUE PODEMOS AO QUE JULGAMOS QUE TEMOS.

09
Mar 09

Quem me são as pessoas senão bichos
Gente que não me entende e eu a eles, todos
Não falo, não ouço, não os sinto e eles a mim
Sou-lhes alheio e eles a mim
Não lhes invejo nada, não os olho, nem nos olhos
O meu refúgio é longe de toda a gente, das pessoas que julgam que julgam e que se pavoneiam como se fossem gente
Gente indiferente, de mim diferente, seguramente
Dessa gente, de toda a gente, eu quero distância
Aquela distância que afasta o dia da noite, o breu do brilho mais ofuscante
De quantos sóis que quando nascem são só para mim
Como eu as detesto, as desprezo
As pessoas
Soubessem elas o que é ser como eu
Soubessem elas o que é viver o êxtase de se saber, como eu me sei
Não depender de nada, nem de ninguém, feliz apenas por ser assim
Feliz assim

publicado por migalhas às 17:21

Março 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

16
19
21

22
23
25
27
28

29
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

facebook
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO