TUDO É ILUSÃO, DESDE O QUE PENSAMOS QUE PODEMOS AO QUE JULGAMOS QUE TEMOS.

10
Mar 08
Enquanto em canto encanto.
Quando me centro é no desencanto, no que me foge dos limites onde me coloco e me sinto, onde me encanto, a cada canto.
Nos extremos, nas fronteiras, nos limites que percorro mas nunca cruzo, pois não lhes sei as consequências e deles temo o encontro forçado com o desencanto que apenas conheço no centro da roda-viva, na exposição forçada do que não sou, tímido, fachada, a querer-me de volta a qualquer canto, de volta ao que aí sou, encanto.
publicado por migalhas às 18:24

Eis-te "de volta" ao teu "canto". Fico contente por isso. Estou sem tempo. Hei-de sugerir um referendo qualquer para decretar 48 horas em cada dia útil...
Depois de amanhã tenho a minha palestra na Verney
e fui convidada para uma conferência na Casa Fernando Pessoa. Também posso pedir o dom da ubiquídade... como é que não me lembrei disso antes?
Bem... posso pedi-lo.Não posso é saber se me vai ser concedido. Ai, Migalhas. Desculpa este disparaye todo, mas ando mesmo sem saber como responder a todas as minhas solicitações exteriores que, fatalmente, se chocam com as solicitações interiores.
Tudo de bom para ti!
Maria João Brito de Sousa a 12 de Março de 2008 às 02:27

Março 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
12
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
25
26
27
28
29

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO