TUDO É ILUSÃO, DESDE O QUE PENSAMOS QUE PODEMOS AO QUE JULGAMOS QUE TEMOS.

09
Jan 08

Onde estás?

Para onde vais?

Não tencionas ficar?

Ainda agora pousaste as malas e nem as esventraste.

Fica.

Fica por uns tempos e aprecia. Olha sem aquele olhar apressado, que nada retém. Observa à tua volta, capta com o outro olhar, o de quem atenta e interioriza. Faz memória.

Não te prendas apenas à partida. Faz da chegada uma celebração, mas dá-lhe tempo. Tempo de se formar, de ganhar vida e de merecer uma partida, nunca apressada, ponderada.

Desfaz as malas, retira delas o que te acompanha, o que te segue para todo o lado, para cada destino onde nunca ficas por muito mais tempo do que uma breve parcela de um ínfimo período.

Descansa, o mundo não te foge. Essa ânsia sim, leva-te sempre vantagem e é isso que te faz segui-la. Tentar que não se afaste em demasia e lhe percas a noção, a percas de vista. Tenta tirá-la da cabeça e por segundos repousar os olhos no que se te apresenta à volta. Não é novidade, mas para ti parece, do modo como reages. Pareces olhar tudo pela primeira vez, como se acabado de nascer.

O mundo sempre aqui esteve, tu é que não paraste para o ver e nele atentar, devagar, para depois o desfrutares. Sem correrias, sem apressada respiração, apenas contemplador.

Vês como é belo?

Não me agradeças. Dedica-te apenas a ele e recupera o que dele perdeste.

publicado por migalhas às 14:55

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


Janeiro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

13
15
16
17
19

20
21
23
25
26

27
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
facebook
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO