Quinta-feira, 18 de Fevereiro de 2016

815309.jpg

 

Saber que um dos mais belos livros que alguma vez li vai ter honras de adaptação à sétima arte, deixa-me entusiasmado e, simultaneamente, apreensivo. Entusiasmado, pois é com imensa curiosidade que anseio pelo modo como a imagem irá retratar o que então foram letras, palavras e frases de uma força tão avassaladora, que para sempre deixaram uma marca inapagável na minha mente. Apreensivo, pois por norma as adaptações cinematográficas ficam sempre aquém das obras que lhe servem de alimento, excepto muito raras excepções que, espero, aqui seja o caso. Pois que um livro assim não merece senão o mais acurado e pormenorizado trabalho de realização, a qual irá estar a cargo de Dominic Cooke, um homem até agora quase exclusivamente dedicado ao teatro. Falo da adaptação do livro de Ian McEwan de 2007, "Na praia de Chesil", romance que foi indicado para Booker Prize desse mesmo ano e eleito "livro do ano" pelo júri dos Galaxy British Book Awards, cuja história tem lugar em 1962, durante a lua de mel de um jovem casal em Dorset. Em resumo, uma história de vidas transformadas por um gesto não feito ou uma palavra não dita, como o autor tão bem descreve nesta sua brilhante frase:

"E é assim que todo o curso de uma vida pode ser alterado - não fazendo nada."



publicado por migalhas às 12:00
TUDO É ILUSÃO, DESDE O QUE PENSAMOS QUE PODEMOS AO QUE JULGAMOS QUE TEMOS.
Fevereiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29


facebook
contador
pesquisar neste blog
 
NetworkedBlogs
subscrever feeds